Quem trabalha com a odontologia digital precisa conhecer as diferentes técnicas para fazer exames radiológicos. O método de Clark se destaca, nesse sentido.

O que é o método de Clark?

O método de Clark é uma técnica indicada para a localização de dentes inclusos, processos e corpos estranhos na maxila. Ele serve para que se possa localizar os pontos anatômicos, como forame mentual e incisivo, assim como a dissociação de raízes e condutos radiculares.

Desde que o método de Clark foi descoberto, até os dias de hoje, foram muitos os casos de pacientes que tiveram os seus problemas odontológicos sanados por conta da aplicação da técnica.

Curiosidades

A técnica recebe esse nome como forma de homenagear o seu criador, Charles A. Clark, que, em 1910, utilizou o princípio da paralaxe para solucionar os problemas relacionados à sobreposição de tomadas radiográficas.

O criador do método de Clark fez essa descoberta a partir do seguinte pensamento: quando uma pessoa olha para alguma coisa, o que ela enxerga depende do ângulo em que ela se encontra. Logo, na radiologia isso também deveria ocorrer.

Ele concluiu que a imagem obtida pelos aparelhos radiográficos depende do ângulo em que se encontra a incidência dos feixes de raios-x sobre o filme.

Como o método de Clark funciona?

O método de Clark funciona a partir do princípio de paralaxe, conforme comentamos. Assim sendo, é necessário que o paciente seja submetido a três tomadas radiográficas.

Uma das tomadas é feita em posição central e as outras duas variam a angulação para a direita e para a esquerda. A partir do método de Clark, os radiologistas conseguem ter uma visão muito mais ampla e por diferentes ângulos da arcada dentária e mandíbula do paciente.

De tal maneira, fica muito mais simples para o radiologista e o dentista localizarem os objetos, como dentes, forames e raízes.

Em que casos o método de Clark é indicado?

É possível utilizar o método de Clark em diversas situações. Veja, a seguir, algumas das principais delas:

1 – Localização vestíbulo-palatal de dentes inclusos e corpos estranhos na mandíbula e nas maxilas
2 – Dissociação das raízes ou dos canais dos dentes
3 – Localização de lesões ou pontos de reparo anatômicos em maxilas e mandíbulas

Gostou de saber mais sobre o método de Clark? Comente com a gente no Instagram (@imaradiologia) 😉

Leave a Reply

×

Powered by WhatsApp Chat

×